4.5.06

Quatro do Cinco

Falo-te daqui da casa vazia da minha tristeza. Os meus olhos estão quentes. Sabes que nunca chorei por ninguém? Não gasto as minhas lágrimas assim tão facilmente.
A saudade aperta e gostava muito que regressasses. Que te sentasses bem junto de mim para eu te poder abraçar. Gostava de te cantar aquela música que por brincadeira te cantava e que era só tua. Lembras-te?
A saudade aperta, mas sei que não podes regressar.
Aceito-o. Estou em paz. Tu continuas aqui comigo.

Sempre e para sempre.

1 comentário:

lililima disse...

Que sinceridade, que carinho... e que maturidade!

Um beijinho ;)

**O tempo, que custa a correr, acaba por levar as mágoas na corrente... mas as lágrimas, às vezes, dão uma ajuda às águas que passam...**