7.3.06

Pára

Tenho pena, mas é assim que sou.
Pára.
Pára de me puxar pelo braço. Pára de me fazer rasteiras. Pára de me gritar aos ouvidos. Pára de me fazer perguntas.
Pára.
Não sei responder e por isso encolho os ombros. Não tenho a resposta a todas as perguntas do mundo. E não as quero ter.
Pára.
Não sei quem sou, mas não quero ser quem tu queres que eu seja. Deixa-me seguir em paz. O caminho não leva a lado nenhum, mas eu quero seguir em paz.

2 comentários:

catarina disse...

-Gosto de ti como és.
-Gosto de ti como queria q fosses!

nninoca disse...

Gostei (demais) de tudo o que li.... vou ter que rever com muito mais cuidado... (Parabens!)