16.12.05

Solidão

Sinto-me sozinho nesta sala vazia. A televisão ligada. Um livro de História aberto, sobre os joelhos. Um programa sobre vida selvagem. Lá fora o sol não brilha. A sala está escura. E vazia. Um crocodilo nada num pântano. Sinto-me sozinho. A chuva bate no vidro. A sala está escura. Sono. Dormir. Acordar. Acordar? O predador agarrou a sua presa. A escuridão está sobre mim. Água que se movimenta lentamente. Dentes aguçados e escamas dentro da água. Sala escura, de luz apagada. Livro aberto. Livro fechado. Televisão ligada. Televisão desligada. Chuva do lado de fora. Sala escura. E vazia.

Escuridão.

2 comentários:

mylostwords disse...

Abrir os olhos dentro da escuridão é o sinal maior de luz que alguma vez se terá.

Entretanto vamos semi-abrindo os olhos a medo.

(Deu-me muito prazer vir aqui e leste isto.)

catarina disse...

Um dos melhores.